sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

22. Metamorfoses

Cada uma à sua maneira, todas as idades são tramadas. Mas umas são mais tramadas que outras. Um tipo vai correr, ou fazer outro exercício qualquer - porque tem que correr, ou fazer outro exercício qualquer, o colesterol, o tabaco, os enchidos, o álcool, as varizes, a vida passada em cima das nádegas, dizem, e dizem sabiamente - e começa a olhar de esguelha para o corpo, meu cabrão, nem penses em falhar-me. É uma espécie de segunda idade adulta (a primeira começa por volta dos 20, quando, por uma ou outra razão, percebemos que também somos mortais).

Só que esta é mais tramada, porque nos dissociamos do corpo, ele ali, fora de nós, como uma cilada permanente, e tornamo-nos sapadores, despertos sempre para uma mina enterrada num vaso cerebral ridículo ou noutro poço qualquer.
A grande esperança é que daqui a 20 anos o corpo já pense por nós, encostados sorridentes num sótão esconso da matéria.

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

21. Pequenas revoluções*

A 200, tem o violino e ele.



* No prato: os Índios Tabajaras

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

19. No nudes please, we're British

Acho que a questão é: quanto tempo demora um "clássico" a sê-lo?


(A propósito: o tal regulamento diz que os anúncios não devem "depict men, women or children in a sexual manner, or display nude or semi-nude figures in an overtly sexual context". Comparado com ou-tr-os casos de banimento era barely the case. A parte boa da história é viver num país onde as "autoridades" assumem os erros com simplicidade)

Lucien Freud, And the Bridegroom (1993)

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

17. Grandes marcas


A primeira vez que experimentei, trinta e tal anos atrás, tinham-mos trazido de Inglaterra, quando qualquer bem importado por particulares era tão suspeito como a heroína.
Poupei-os durante meses.
Por volta de 1980, entrou no mercado legal e comprava-se nos cafés e pastelarias.
Sumiu-se em data que já não sei precisar , para grande infelicidade geral.
Voltou, depois, com a sociedade de abundância, disponível nos grandes supermercados. Dei-o por coisa adquirida.
Desapareceu outra vez em 2007.
Dão-se alvíssaras.

16. Nos muros



(Coimbra, 2008)

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

15. Pequenas coisas perfeitas

... Ah, distinctly I remember it was in the bleak December,
And each separate dying ember wrought its ghost upon the
[floor (...)
Deep into that darkness pearing, long I stood there
[wondering, fearing,
Doubting, dreaming dreams no mortals ever dared to
[dream before;
But the silence was unbroken, and the stillness gave no
[token,
And the only word there spoken was the whispered word,
["Lenore!" (...)

(Edgar Allan Poe, The Raven)

Jim Giddings, Raven, Oil, paintstick & graphite on paper

domingo, 17 de fevereiro de 2008

14. Glosando Edgar Morin



Tudo fazia crer que seria a sua última viagem.
A salvação mora no improvável.

sábado, 16 de fevereiro de 2008

13. Pequenas revoluções


Nos Jogos Olímpicos de 1968, Dick Fosbury revolucionou o salto em altura, obtendo a medalha de ouro com o "Fosbury flop". Saltou 2,24 m.



No essencial, mostrou que, ao contrário dos pássaros, o homem voa melhor de barriga para cima.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

12.Indelebilidades



|
|












Maria Brizida, com fechadura no fim, dói mais, e custa mais a disfarçar.





No prato: Lloyd Cole and the Commotions

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

11. Antecipações



Faltam (mais ou menos) 15 dias.

sábado, 9 de fevereiro de 2008

10. Springtime can kill you*




Não surpreende um verão precoce em Maio, em Agosto é bem vinda alguma chuva, Outubro pode ser invernoso.
Mas se toda a Primavera é uma violência necessária, Junho em Fevereiro é uma obscenidade.

*No prato: Jolie Holland

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

9. Iluminações

"A cultura é uma operação de empobrecimento da revelação. Compreenda-se: a cultura é a moral da imaginação; fecha prudentemente a excessiva abertura da linguagem, a formulação entusiástica do símbolo. Quem está fora da cultura propicia-se à revelação." (Herberto Hélder, Photomaton & Vox, 1987).

Faz todo o sentido haver Ministérios da Cultura. Desde que sejam dirigidos por advogados, gestores ou engenheiros.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

8. Pequenas coisas perfeitas: "scordato strumento"


"...il vento che nasce e muore
nell'ora che lenta s'annera
suonasse te pure stasera
scordato strumento,
cuore."
(E. Montale, Corno Inglese)

7. Obras improváveis (1)



Garrafa vazia de Três Bagos 2004 (Lavradores de Feitoria) encimada por carranca do Major Thompson em miolo de pão (2007)

terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

6. Grandes marcas












Coimbra, Praça do Comércio (2008)

5. De partida




ne plus regarder en arrière
le vide ombrageux.
devant eux,
la vie leur était claire
comme un mensonge transparent

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2008

4. O casamento





Como se esperava, a noiva saíra de casa atrasada, ignorando que haveria de chegar sempre cedo demais.

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

3. Nos muros (1)

O dia é um bode ruivo.

(Coimbra, 2008)